CÃES DE RUA: ACREDITE, ELES NÃO EXISTEM NA HOLANDA!

holanda-sem-caes-de-rua

Holanda, sem cães de rua

Por: Meus animais

 

A existência de cães de rua exibe um dos problemas menos valorizados que existem no mundo. Mesmo que os cães estejam expostos a sofrerem muitos tipos diferentes de mal, em muitos países, isso continua sendo visto como algo que não é necessária uma solução.

Felizmente, nem todos os países pensam assim. Existem nações que tomaram diferentes tipos de medidas que permitem oferecer ao melhor amigo do homem uma vida mais digna e afastada dos muitos maus que podem vir a sofrer um cão quando ele está sem família e sem lar.

Um desses países é a Holanda, país que obteve o impressionante título de não ter cães de rua. Este fato significou um autêntico exemplo de humanidade e amor para com os nossos melhores amigos de quatro patas.

Se você não sabia sobre essa admirável realidade holandesa, a seguir lhe contaremos um pouco mais sobre ela.

Conscientização

cães de rua

Como é de se imaginar, uma das razões mais importantes para que nesta nação não existam cães de rua é o alto nível de compromisso que têm seus habitantes. Tanto para com os cães como para com os outros seres vivos, eles veem o maltrato animal como um crime tão deplorável como qualquer outro.

É que na Holanda, assim como ocorre em outros países europeus como a Inglaterra, o cão é tratado da mesma forma que a um ser humano. Este fato faz com que quando uma família tem um cão, ele nunca seja considerado como um simples animal, mas sim um outro membro da família tão importante como um filho.

Como é de se supor, os direitos dos animais são tão fundamentais como o das pessoas. Esta situação é que faz da Holanda seja uma das nações mais admiráveis na forma em que tratam a outras espécies.

História dos cães de rua

Apesar da admirável mentalidade dos holandeses quanto a este tema, o certo é que ela não se desenvolveu da noite para o dia. É imprescindível explicar as raízes que trouxeram como consequência a feliz realidade que os cães desfrutam atualmente neste país.

Algumas dessas raízes datam do século XIX, quando a quantidade de cães de rua que existiam na Holanda era tão grande ou maior que a que recentemente pode existir na Tailândia.

Este fato trouxe como consequência um preocupante surto de raiva entre a população holandesa daquela época, provocada pelas escassas medidas de saúde.

A razão pela qual existiam tantos cães vivendo nas ruas foi a popularização da compra de cães de raça.

Esta situação chegou a um ponto tão extremo que o Governo optou por cobrar altos impostos de quem tivesse um destes animais. Isso fez com que os donos decidissem por jogá-los na rua por não poderem pagar.

“A partir desta terrível situação em que também foi vítima o melhor amigo do homem, surgiram, no ano de 1886, as primeiras associações para a proteção animal, as quais lutaram fortemente para que fossem oferecidas aos animais o trato digno e justo que eles merecem.”

Leis e medidas atuais

amor-mulher-cão

Longe de ser um intento infrutífero para proteger estas espécies, o sucesso dessas associações foi o que gerou a atual realidade da inexistência de cães de rua na Holanda.

A partir da luta daqueles que decidiram se solidarizar com a causa animal, foi estabelecida uma série de leis no século XX que foram fundamentais.

A mais importante destas é a Lei de Saúde e Bem-estar animal. Trata-se de uma punição exemplar que é de uma multa de 17 mil euros ou 3 anos da prisão para qualquer pessoa que atente contra um animal de estimação.

Também, o Governo estabeleceu medidas de prevenção, como campanhas de esterilização, para evitar que qualquer cão passe a viver nas ruas.

Este país conta ainda com numerosas associações que tiram os cães das ruas para lhes oferecer cuidados e para posteriormente colocá-los em adoção.

 

Veja mais em: Meus Animais | Cães de rua: Eles não existem na Holanda!

O AMOR DE UM ANIMAL PODE ATÉ CURAR…

zooterapia

Zooterapia – Pets ajudando no tratamento de pessoas

A zooterapia faz animais tratarem humanos

Por: Ricardo Tubaldini

As relações e interações entre animais e humanos existem desde sempre. Há anos cientistas estudam essa relação, pontuando os benefícios que os animais trazem para o bem estar e a saúde dos humanos. Baseado nesses estudos foi criada a zooterapia, que nada mais é do que animais ajudando humanos na sua reabilitação.

A zooterapia, também conhecida como Terapia Assistida por Animais (TAA), é uma técnica de reabilitação e reeducação física, psíquica, social e sensorial onde animais são usados como assistentes. A zooterapia pode tratar tanto de problemas psicológicos quanto físicos, e também trata dos dois ao mesmo tempo, se for necessário.

Um tratamento com várias funções

Os usos da zooterapia são os mais variados, desde os mais básicos como o tratamento do estresse, depressão, alergias e controle de hiperatividade, até problemas motores e socialização de pessoas afastadas de um convívio social.

Cães, gatos, cavalos, pássaros, até peixes são usados dentro de um tratamento longo que constitui em várias etapas. A ideia da zooterapia é utilizar os animais além de somente companhia para os pacientes, mas como uma ferramenta importante e indispensável para aquele tratamento. São utilizadas técnicas e animais diferentes, dependendo de qual tipo de tratamento for feito.

Treinamento e lugar certo sempre

Por mais que a Terapia Assistida por Animais tenha um conceito simples, o efeito desejado do tratamento só é possível através de muito treinamento do profissional para lidar com animais, e, principalmente, treino do animal a ser utilizado. É um sistema em conjunto, onde o terapeuta e o animal trabalham juntos e se ajudam.

O ambiente para o tratamento também é muito importante. Além de ser apropriado para a presença do animal usado, seja um peixe ou um cavalo, o local deve ser esteticamente agradável e com todo o material necessário.

Hospitais, creches e asilos são os locais onde mais se utiliza a técnica da zooterapia, pois são apropriados e não precisa de locomoção do paciente. É claro que nos hospitais há alas próprias para essa prática, além de acompanhamento e monitoração veterinária sempre.

Se eu precisar de tratamento, posso usar o meu pet?

Sim, mas o animal precisará de treino e deverá ser muito bem socializado com humanos. Os animais usados para a zooterapia devem ser tranquilos e fáceis de lidar. Se o cão for nervoso, ou o gato não goste de ser manuseado, vai ser mais difícil para o profissional zooterapeuta lidar com ele e ensiná-lo o necessário.

É importante ter em mente que para o tratamento mais efetivo, os melhores métodos devem ser utilizados. Um animal que cause problemas, por mais apegado que seja ao dono, pode causar situações de estresse e atrapalhar no sucesso do tratamento.

É possível também entrar com seu pet como voluntário para a zooterapia. O bichinho será avaliado por profissionais e veterinários, tanto na socialização, quanto na saúde, e se tudo estiver certo, ele pode ser um ajudante no tratamento de outras pessoas.

A zooterapia no Brasil

A Terapia Assistida por Animais é muito utilizada nos Estados Unidos e nos países Europeus e Asiáticos, onde essas pesquisas começaram a ser estudadas e praticadas. No Brasil essa técnica caminha a passos lentos, devido a vários problemas técnicos e ideológicos.

Há poucos estudos brasileiros sobre a zooterapia, assim como poucos profissionais que se interessem pela área, dificultando o avanço desse tipo de tratamento. Também há poucos lugares que ensinem esse tipo de especialização, isso, muitas vezes, obrigando os profissionais a se especializarem fora do Brasil.

Há também alguns conflitos ideológicos das entidades protetoras dos animais, que acusam os humanos de estarem se aproveitando dos animais. Esse é um termo ainda em estudo, não foi comprovado cem por cento que o animal não seja afetado emocionalmente durante o processo. Alguns estudos indicam que sim, mas muitos outros indicam que isso só melhora o bem estar do bichinho.

Independente disso, é possível encontrar o tratamento no Brasil, apesar de escasso. Os grandes centros possuem profissionais especializados e até ambientes próprios para o tratamento com zooterapia, além de alguns hospitais já permitirem a visita dos bichos de estimação aos seus donos enfermos que estiverem recebendo tratamento.

A zooterapia é uma técnica nova e bastante interessante, ela não dá a cura certa, mas com certeza é um meio divertido e alternativo de tratamento que pode ser usado como opção para todo o tipo de paciente, tornando seu dia a dia um pouco melhor.

Fonte: CachorroGato | Zooterapia – Pets ajudando no tratamento de pessoas