BOM  PARA O HOMEM E BOM PARA A BIODIVERSIDADE…

agrofloresta_beneficios

Sistemas Agroflorestais (SAFs):

realizando o casamento entre agricultura e floresta- II

Por: Planeta Orgânico

Benefícios Gerados pelos Sistemas Agroflorestais

Os sistemas agroflorestais, além de variáveis, são muito flexíveis, permitindo a utilização de espécies e ecossitemas de todo o mundo. Essa flexibilidade, ao mesmo tempo em que gera uma liberdade de ação para o produtor, impossibilita apelação a qualquer tipo de manual ou “receita” sobre qual a melhor maneira de se implantar e conduzir o sistema. Para cada local deve ser encontrado um manejo específico e preferencialmente baseado nos princípios agroecológicos, a fim de garantir a produção de alimentos de alta qualidade biológica aliada à uma estabilidade ecológica e sócioeconômica da produção no longo prazo. Ajustando-se de acordo com o tamanho da propriedade e com o nível econômico dos gerenciadores do sistema, os SAFs podem atender desde agricultores familiares em pequenos hortos caseiros até grandes empresas em plantações florestais.

De acordo com os pesquisadores Eduardo Mendonza e Maria Bertalot, os benefícios gerados pelos SAFs, podem ser divididos em dois aspectos: biológico e socioeconômico. Veja, a seguir, cada aspecto descrito com detalhes.

Aspectos biológicos
  • Otimização na utilização do espaço da propriedade pelo aproveitamento dos diferentes estratos verticais (vegetação rasteira, arbustos, árvores altas), resultando em maior produção de biomassa (quantidade de matéria orgânica gerada pelas plantas).
  • Melhoramento das características químicas, físicas e biológicas do solo. Isso ocorre graças à decomposição e incorporação da matéria orgânica e penetração das raízes das árvores no solo. Os diferentes comprimentos de raízes existentes no solo, com a presença de árvores, auxiliam também na redução potencial da erosão.
  • A produção total obtida de uma mistura de árvores e culturas agrícolas ou criações de animais é freqüentemente maior que a produzida nas monoculturas.
  • Tem maior facilidade em se adaptar a um manejo agroecológico, ‘a medida em que a diversidade de espécies torna todo o sistema mais vigoroso, dispensando o uso de agrotóxicos e fertilizantes sintéticos.
  • Reduz o risco de perda total da cultura principal, já que os possíveis ataques de pragas e doenças são distribuídos entre várias espécies de plantas, diminuindo os danos à cultura de maior valor comercial.
  • Permite o uso econômico da sombra. O rebanho bovino, assim como culturas como o café e o cacau, se beneficiam da sombra de outras árvores.
Aspectos Econômicos e Sociais:
  • Fornecimento de uma maior variedade de produtos e/ou serviços da mesma área de terra. Estes produtos podem ser: alimentos, lenha, adubo verde, plantas medicinais e ornamentais, sombra, quebra-ventos e embelezamento da paisagem.
  • Promove uma distribuição mais uniforme do serviço e da receita gerada, devido a um trabalho contínuo e à obtenção de diversas colheitas.
  • A diversidade de produtos colhidos reduz dois tipos de risco: o de impacto econômico derivado da flutuação de preços no mercado e o de perda total da colheita, quando se tem uma única cultura.
  • A associação de culturas anuais (como grãos) ou de ciclo curto (como hortaliças) juntamente com as árvores reduz os custos de implantação do sistema agroflorestal. No longo prazo o custo também é minimizado quando as árvores começam a gerar produtos comercializáveis, como madeira e frutas, por exemplo.

Via: Sistemas Agroflorestais (SAFs): « Planeta Orgânico


Neste Chão Tudo Dá

Publicado por: Laércio Almeida
Enviado em 25 de jan de 2012

Versão reduzida do documentário realizado por Felipe Pasini, Ilana Nina e Monica Soffiatti. “Neste Chão Tudo Dá – semeando conhecimento e colhendo resultados” é um registro informal realizado durante uma viagem pela Bahia sobre o trabalho e o pensamento do agricultor e pesquisador Ernst Gotsch. Além disso, ainda conhecemos a vida de agricultores que conseguiram aumentar a qualidade de vida de suas familias através da prática agroflorestal

Categoria:  Sem fins lucrativos/ativismo
Licença:  padrão do YouTubeLicença: padrão do YouTube
Música: “Not What They Seem” por Michael Blumenstock (Google PlayiTunes)

Via: Neste Chão Tudo Dá – YouTube

O QUE É UMA AGROFLORESTA…

agrofloresta

Sistemas Agroflorestais (SAFs):

realizando o casamento entre agricultura e floresta – I

Por: Planeta Orgânico

  I) Introdução

O termo “agrofloresta” foi criado para designar um uso especial da terra que envolve o manejo intencional de árvores. Através da introdução e mistura de árvores ou arbustos nos campos de produção agrícola ou pecuária, obtem-se benefícios a partir das interações ecológicas e econômicas que acontecem nesse processo. Existem muitas variações nas práticas que caem na categoria de agrofloresta: na agrossilvicultura, as árvores são combinadas com culturas agrícolas; em sistemas silvopastoris, elas são combinadas com produção animal e em sistemas agrossilvopastoris o produtor maneja uma mescla de árvores, culturas e animais. Cabe ressaltar que a incorporação de árvores em sistemas de produção de alimentos é uma prática com longa história. Isto é especialmente verdadeiro em regiões tropicais e subtropicais do planeta, nas quais os produtores manejam árvores e animais juntamente com a atividade agrícola, a fim de satisfazerem suas necessidades básicas de alimento, madeira, lenha, forragem e para ajudar na conservação dos recursos naturais disponíveis na propriedade (solo, água, biodiversidade, entre outros). O ponto em comum entre a Agroecologia e os sistemas agroflorestais reside no objetivo: ambos pretendem otimizar os efeitos benéficos das interações que ocorrem entre as árvores, os cultivos agrícolas e animais, obter a maior diversidade de produtos, diminuir a necessidade de insumos externos e reduzir os impactos ambientais negativos da agricultura convencional. Esta afinidade de objetivos possibilita que os sistemas agroflorestais inseridos num contexto agroecológico de produção contribuam significativamente para o desenvolvimento equilibrado, integrado e duradouro tanto da paisagem natural quanto das comunidades humanas que nela habitam.

2) Classificação dos Sistemas Agroflorestais

Considerando a distribuição no espaço e no tempo dos componentes (plantas e animais) de um sistema, os sistemas agroflorestais são classificados em:

1 – Sequenciais: Relação cronológica entre as colheitas anuais e os produtos arbóreos; os cultivos agrícolas e as árvores implantadas se sucedem no tempo.
Exemplo: Sistema chamado Taungya:

A cultura de milho pode ser intercalada com árvores como seringueira e euclipto
A cultura do milho pode ser intercalada com as árvores, como seringueira e eucalipto

– 1º ano: Plantio de culturas anuais (milho, feijão, por exemplo) intercalada com mudas plantadas de árvores (seringueira, eucalipto, por exemplo).
– 2º e 3º anos: Faz-se uma rotação de culturas agrícolas anuais, realizam-se as colheitas e as vendas dos produtos para gerar receita enquanto as árvores crescem.
– A partir do 3º ano: Forma-se um bosque jovem, o produtor pode plantar outras espécies de árvores que crescem bem na sombra deste bosque (como as árvores de madeira de lei), ou apenas aguardar o crescimento das árvores. O tempo de extração da madeira ou de qualquer outro produto florestal (látex, flores, folhas, resina, etc.) dependerá da espécie e da região escolhidas.

2 – Simultâneos: Integração simultânea e contínua de cultivos anuais ou perenes, árvores para obtenção de madeira, frutíferas ou de uso múltiplo (para fornecer proteínas e sombra para animais, por exemplo).

sombmini
Sombreiro: árvore de altura mediana. A copa larga e frondosa é excelente para sombreamento, justificando bem o nome popular

Exemplo: Cultivo em faixas ou aléias (Alley Cropping)

a) Plantam-se no mesmo ano árvores + culturas perenes (ciclo de produção acima de 3 anos): cultura sombreada (café, cacau, urucum, por exemplo), árvore que fornecerá sombra (ipê, palmito, cardamomo, sombreiro, cedro, etc.), geralmente fornecedora de madeira.

b) Plantam-se no mesmo ano culturas anuais (soja, milho, mandioca, feijão, arroz, entre outros) e espécies arbóreas leguminosas, capazes de fixarem o nitrogênio do ar e colocarem (pela decomposição de folhas que caem) este nutriente disponível para o cultivo agrícola.

3 – Cercas Vivas ou Quebra-Ventos: 

euclipfil3
Ao funda da plantação, vê-se uma faixa de eucalipto.

Fileiras de árvores que podem delimitar uma propriedade ou servir de proteção para outras plantas ou sistemas agrícolas integrados.
Exemplo: Implantação de faixas de eucalipto em torno de uma plantação de café, ou uma lavoura de milho.

Clique aqui para saber os
Benefícios Gerados pelos Sistemas Agroflorestais

Via: Sistemas Agroflorestais (SAFs): « Planeta Orgânico


Aula prática completa de Agrofloresta com o Mestre Ernest

Publicado por: gabaolakota
em 8 de mai de 2012

Ernest é um dos maiores entendidos de agrofloresta que moram no Brasil. Este vídeo traz uma super aula de manejo agroflorestal. Bom proveito e espalhe o conhecimento!

Categoria: Ciência e tecnologia
Licença: padrão do YouTube

Via: Aula prática completa de Agrofloresta com o Mestre Ernest – YouTube

 

A ALIMENTAÇÃO VEGANA TEM O PODER DE RETARDAR O SEU ENVELHECIMENTO…

comida-vegan

13 celebridades provam que o veganismo pode ser a fonte da juventude

January 3, 2017

1. Jared Leto

Quando a revista Rolling Stone perguntou a Jared Leto, que está com 44 anos, como mantém sua incrível forma e energia, a resposta foi: “Vinte anos me cuidando e seguindo uma dieta vegetariana.”

2. Michelle Pfeiffer

A atriz de 58 anos atribui sua aparência jovem e radiante a sua dieta vegetariana. Em entrevista para a revista online Urbanette, ela disse: “A dieta vegetariana é muito mais saudável, e você evita muitas toxinas que podem envelhecer sua pele e seu corpo”.

3. Emily Deschanel

Famosa por seu papel como Dra. Temperance Brennan em Bones, a atriz de 39 anos, premiada pela Mercy for Animals com o Prêmio Liderança em Compaixão (Compassionate Leadership Award) em 2012, é vegana há mais de 20 anos!

4. Christie Brinkley

Vegetariana desde os 12 anos e agora vegana, a modelo e atriz de 62 anos de idade “enaltece os benefícios da dieta vegetariana na perda de peso e no combate ao envelhecimento”, segundo a revista online Celebrity Health & Fitness.

5. Mayim Bialik

A cientista nerd do seriado The Big Bang Theory é também uma grande amante dos animais. A atriz de 40 anos é vegana e até já lançou seu próprio livro de receitas vegetarianas!

6. Tony Kanal

O famoso baixista da banda No Doubt é um ativista ferrenho pelo direitos dos animais. O músico de 45 anos atribui o fato de ser um vegano fervoroso ao seu amor pelos animais.

7. Persia White

Mais conhecida como Lynn Searcy na comédia Girlfriends, a atriz de 43 anos de idade também é co-produtora de Terráqueos, um poderoso documentário sobre nossa relação com animais não-humanos, incluindo os utilizados na produção de alimentos.

8. Jessica Chastain

Famosa por seus papéis em filmes de ação e um “avião” aos 39 anos, Jessica é movida a vegetais! Veja o que ela disse em uma entrevista: “Não quero torturar ninguém. Eu tento viver a vida de forma que eu não contribua para a crueldade no mundo. … Enquanto eu estiver neste planeta, quero que todos que eu conheça saibam que sou grata por estarem aqui.”

9. Russell Simmons

Aos 58 anos, o magnata da música está à toda! Ele diz que se sente melhor do que nunca, graças ao yoga e sua dieta vegetariana.

10. Alicia Silverstone

A atriz de “As Patricinhas de Beverly Hills” agora tem um blog vegano e até escreveu um livro de receitas vegetarianas! Quando não está ocupada trabalhando, ela está correndo atrás de seu filho de 5 anos. De onde é essa mãe de 39 anos de idade tira tanta energia? Dos vegetais, é claro!

11. Pamela Anderson

Todo mundo já ouviu falar de Pamela Anderson. Mas o que você talvez não saiba é que essa rainha do glamour, de 49 anos, é uma verdadeira entusiasta da causa animal, emprestando seu nome a várias campanhas que promovem o veganismo!

12. Erykah Badu

Vegana há mais de 20 anos, a premiada cantora e compositora Erykah Badu, agora com 45 anos, declara: “O alimento ‘’sem carne’’ é o alimento da alma em sua forma mais verdadeira”.

13. Daisy Fuentes

Ela quebrou barreiras tornando-se a primeira VJ latina da MTV e é a primeira porta-voz da Revlon a assinar um contrato mundial. Mas você sabia que ela também é vegana?! Aos 49 anos, Daisy empresta sua voz para ajudar os animais e foi mestre de cerimônias no Jantar de Gala da Mercy For Animals em 2016.

Pesquisas e mais pesquisas comprovam que uma dieta vegetariana é melhor para a saúde. Para receitas e dicas de como se alimentar de forma mais saudável e compassiva, clique aqui e baixe nosso Guia Vegetariano Gratuito!

Veja mais em: EscolhaVeg.com.br

VISANDO UM PLANETA MAIS SAUDÁVEL…

organicos

Estudo mostra que agricultura orgânica pode alimentar o mundo inteiro

A produção orgânica pode ser rentável, ao mesmo tempo em que melhora as condições ambientais e dos trabalhadores.

Um estudo feito pela Universidade Estadual de Washington, EUA, mostrou que a agricultura orgânica pode ser usada para alimentar de maneira eficiente toda a população mundial. O relatório mostra que com este tipo de produção é possível ter rendimentos suficientes aos produtores, ao mesmo tempo em que melhora as condições ambientais e dos trabalhadores rurais.

Continue lendo a matéria no CicloVivo

CÃES DE RUA: ACREDITE, ELES NÃO EXISTEM NA HOLANDA!

holanda-sem-caes-de-rua

Holanda, sem cães de rua

Por: Meus animais

 

A existência de cães de rua exibe um dos problemas menos valorizados que existem no mundo. Mesmo que os cães estejam expostos a sofrerem muitos tipos diferentes de mal, em muitos países, isso continua sendo visto como algo que não é necessária uma solução.

Felizmente, nem todos os países pensam assim. Existem nações que tomaram diferentes tipos de medidas que permitem oferecer ao melhor amigo do homem uma vida mais digna e afastada dos muitos maus que podem vir a sofrer um cão quando ele está sem família e sem lar.

Um desses países é a Holanda, país que obteve o impressionante título de não ter cães de rua. Este fato significou um autêntico exemplo de humanidade e amor para com os nossos melhores amigos de quatro patas.

Se você não sabia sobre essa admirável realidade holandesa, a seguir lhe contaremos um pouco mais sobre ela.

Conscientização

cães de rua

Como é de se imaginar, uma das razões mais importantes para que nesta nação não existam cães de rua é o alto nível de compromisso que têm seus habitantes. Tanto para com os cães como para com os outros seres vivos, eles veem o maltrato animal como um crime tão deplorável como qualquer outro.

É que na Holanda, assim como ocorre em outros países europeus como a Inglaterra, o cão é tratado da mesma forma que a um ser humano. Este fato faz com que quando uma família tem um cão, ele nunca seja considerado como um simples animal, mas sim um outro membro da família tão importante como um filho.

Como é de se supor, os direitos dos animais são tão fundamentais como o das pessoas. Esta situação é que faz da Holanda seja uma das nações mais admiráveis na forma em que tratam a outras espécies.

História dos cães de rua

Apesar da admirável mentalidade dos holandeses quanto a este tema, o certo é que ela não se desenvolveu da noite para o dia. É imprescindível explicar as raízes que trouxeram como consequência a feliz realidade que os cães desfrutam atualmente neste país.

Algumas dessas raízes datam do século XIX, quando a quantidade de cães de rua que existiam na Holanda era tão grande ou maior que a que recentemente pode existir na Tailândia.

Este fato trouxe como consequência um preocupante surto de raiva entre a população holandesa daquela época, provocada pelas escassas medidas de saúde.

A razão pela qual existiam tantos cães vivendo nas ruas foi a popularização da compra de cães de raça.

Esta situação chegou a um ponto tão extremo que o Governo optou por cobrar altos impostos de quem tivesse um destes animais. Isso fez com que os donos decidissem por jogá-los na rua por não poderem pagar.

“A partir desta terrível situação em que também foi vítima o melhor amigo do homem, surgiram, no ano de 1886, as primeiras associações para a proteção animal, as quais lutaram fortemente para que fossem oferecidas aos animais o trato digno e justo que eles merecem.”

Leis e medidas atuais

amor-mulher-cão

Longe de ser um intento infrutífero para proteger estas espécies, o sucesso dessas associações foi o que gerou a atual realidade da inexistência de cães de rua na Holanda.

A partir da luta daqueles que decidiram se solidarizar com a causa animal, foi estabelecida uma série de leis no século XX que foram fundamentais.

A mais importante destas é a Lei de Saúde e Bem-estar animal. Trata-se de uma punição exemplar que é de uma multa de 17 mil euros ou 3 anos da prisão para qualquer pessoa que atente contra um animal de estimação.

Também, o Governo estabeleceu medidas de prevenção, como campanhas de esterilização, para evitar que qualquer cão passe a viver nas ruas.

Este país conta ainda com numerosas associações que tiram os cães das ruas para lhes oferecer cuidados e para posteriormente colocá-los em adoção.

 

Veja mais em: Meus Animais | Cães de rua: Eles não existem na Holanda!

CADA UM FAZENDO A SUA PARTE PELO MEIO AMBIENTE…

environmental-protection

Como Preservar a Natureza

Por Cultura Mix em Natureza

O meio ambiente está precisando urgentemente de ajuda. Todos devem ter em mente que preservar a natureza significa melhor equilíbrio ecológico e consequentemente do Planeta Terra.

O Brasil é o país que possui maior diversidade em todo o mundo, e por este motivo deveria estar na liderança da luta mundial contra a degradação ao meio ambiente e preservação da natureza. A melhor forma de manter a natureza preservada é mantê-la intocada, desenvolvendo-se sozinha de acordo com as condições climáticas naturais. No entanto, a humanidade é extremamente dependente das matérias-primas da floresta.  Neste sentido, como você pode preservar a natureza?

Consumo Sustentável

A natureza deve estar enraizada nos sentimentos dos cidadãos. A forma de consumo representa grande chave para que empresas entendam de forma legítima que é necessário preservar a natureza.

Veículo e Caronas

Evite andar de carro, pois o combustível gerado na atmosfera prejudica a ecologia de forma tamanha, que até mesmo a camada de ozônio é afetada, sem contar que a exploração do Petróleo pode causar diversos problemas na atmosfera, gerados naturalmente ou pelo efeito do homem.

Como-Preservar-a-Natureza-3
Como Preservar a Natureza

Neste sentido, por mais que os transportes públicos do país sejam desqualificados para realizar viagens, é melhor optar por eles. Mais pessoas dentro de um veículo terrestre significa menos combustível na atmosfera, e consequentemente maior nível de preservação. Justamente por este motivo que é muito importante dar ou pegar carona. Dividir o combustível junto com todos os presentes no veículo simboliza antes de tudo dividir a responsabilidade ambiental.

Lixo Seletivo

O lixo seletivo também faz parte das lições primordiais sobre  como um cidadão pode preservar a natureza. Hoje em dia não existem tantos lixos seletivos como seria necessário, mas os elementos tóxicos ficam misturados, tornando muito difícil o processo de reciclagem.

Quem não tem este tipo de lixo no apartamento, deve solicitar reunião com o síndico no intuito de implantar a coleta de lixo seletivo. Ficar na dependência de que o Estado vai colocar lixo seletivo nas imediações da sua rua não representa uma saída interessante neste âmbito de discussão.

De Olho Na Crise Da Água

Apenas 05% da água existente no mundo são do tipo doce, consequentemente própria para o consumo potável.

Estatísticas apontam que caso o desperdício continue até o ano de 2030, o consumo por cada habitante no mundo deve reduzir para 30%. Justamente por este motivo que é sempre indicado evitar o desperdício de água, por isso não tome banhos longos e jamais deixe a torneira aberta. Lembre-se de que água é vida.

A constituição diz claramente que a natureza pertence a todos os cidadãos cuja nacionalidade é brasileira. Justamente por este motivo que todos os brasileiros devem participar da preservação da natureza, agindo como cidadão sustentável, denunciando todas as formas de exploração ilegal e aconselhando toda a sociedade em relação à educação ambiental.

Como Preservar a Natureza

Até não muito tempo atrás, nós não tínhamos o hábito de preservar a natureza, inicialmente por falta de conhecimento dos problemas que poderiam ser acarretados no futuro. O grande problema é que esse tal futuro chegou, e agora sentimos na pele a importância de se preservar a natureza. Devemos impedir que seja mais destruída do que já esta, e com isso tentemos controlar os problemas que são acarretados por nossa própria culpa. Mas como podemos ajudar? A resposta para essa pergunta é simples e conhecida por todos: Fazendo a nossa parte! Se cada um fizer o que lhe cabe, além de prevenir a natureza, manteremos uma sociedade mais organizada e limpa. Fazendo o mínimo necessário para preservar a natureza, estamos ajudando ao próximo também e mais do que isso respeitando o próximo.

A parte de cada um:

Vamos ver como podemos fazer nossa parte para ajudar a preservar a natureza.

– Tudo se começa com a conscientização. Acho que já estamos todos conscientizados dos problemas que estamos passando por e dos que ainda estão por vir por causa dos maus tratos que cometemos com natureza no passado.

– Depois de conscientizados temos que educar. Isso mesmo educar a nós mesmo, às pessoas que vemos nas ruas cometendo atos que são prejudiciais a natureza e também devemos educar nossos jovens para que cresçam já com uma boa consciência. Educar quando mais novo é muito mais fácil do que depois de grande, quando a pessoa já tem péssimos hábitos.

Como Preservar a Natureza

– Com esses dois passos feitos podemos começar a melhorar o mundo. Afinal de contas não há dificuldade em separar o lixo para a coleta seletiva, jogar fora apenas o que pode mesmo ir para o lixo, já existem depósitos específicos para jogarmos pilhas e baterias, pois as mesmas contém material radioativo. Muitas lojas e mercados recolhem esse tipo de material para que possam ser levados aos depósitos específicos. Informe-se onde eles podem ser deixados.

– Compre uma sacola retornável no mercado. Essa nova lei pode ter sido incomoda para muitas pessoas, mas foi excelente para o meio ambiente. Mesmo assim, é bom comprar uma sacola, do contrário, cada vez que for ao mercado vai pegar uma caixa de papelão ou “sacolinhas” na parte das frutas. O primeiro passo foi dado pelas autoridades, agora vamos ajudar também, com R$2,00 reais compramos uma boa sacola retornável que vai durar por um bom tempo.

– Siga a política dos 3 R’s: “reduzir, reutilizar e reciclar” seguindo esse simples passo. O que for lixo pode vir a se tornar com outra utilidade. Se não pode ser reciclado, assim só o que tem mesmo que ir para o lixo é jogado fora.

– Não jogue lixo no chão, além de poluir a natureza, você deixa o local sujo e é desagradável para todos.

Essas dicas são muito fáceis de serem seguidas e fazem uma diferença enorme, basta se ponderar e logo todas passam a ser hábitos.

 

Fonte: Meio Ambiente – Cultura Mix | Planeta e Climas | Como Preservar a Natureza

O AMOR DE UM ANIMAL PODE ATÉ CURAR…

zooterapia

Zooterapia – Pets ajudando no tratamento de pessoas

A zooterapia faz animais tratarem humanos

Por: Ricardo Tubaldini

As relações e interações entre animais e humanos existem desde sempre. Há anos cientistas estudam essa relação, pontuando os benefícios que os animais trazem para o bem estar e a saúde dos humanos. Baseado nesses estudos foi criada a zooterapia, que nada mais é do que animais ajudando humanos na sua reabilitação.

A zooterapia, também conhecida como Terapia Assistida por Animais (TAA), é uma técnica de reabilitação e reeducação física, psíquica, social e sensorial onde animais são usados como assistentes. A zooterapia pode tratar tanto de problemas psicológicos quanto físicos, e também trata dos dois ao mesmo tempo, se for necessário.

Um tratamento com várias funções

Os usos da zooterapia são os mais variados, desde os mais básicos como o tratamento do estresse, depressão, alergias e controle de hiperatividade, até problemas motores e socialização de pessoas afastadas de um convívio social.

Cães, gatos, cavalos, pássaros, até peixes são usados dentro de um tratamento longo que constitui em várias etapas. A ideia da zooterapia é utilizar os animais além de somente companhia para os pacientes, mas como uma ferramenta importante e indispensável para aquele tratamento. São utilizadas técnicas e animais diferentes, dependendo de qual tipo de tratamento for feito.

Treinamento e lugar certo sempre

Por mais que a Terapia Assistida por Animais tenha um conceito simples, o efeito desejado do tratamento só é possível através de muito treinamento do profissional para lidar com animais, e, principalmente, treino do animal a ser utilizado. É um sistema em conjunto, onde o terapeuta e o animal trabalham juntos e se ajudam.

O ambiente para o tratamento também é muito importante. Além de ser apropriado para a presença do animal usado, seja um peixe ou um cavalo, o local deve ser esteticamente agradável e com todo o material necessário.

Hospitais, creches e asilos são os locais onde mais se utiliza a técnica da zooterapia, pois são apropriados e não precisa de locomoção do paciente. É claro que nos hospitais há alas próprias para essa prática, além de acompanhamento e monitoração veterinária sempre.

Se eu precisar de tratamento, posso usar o meu pet?

Sim, mas o animal precisará de treino e deverá ser muito bem socializado com humanos. Os animais usados para a zooterapia devem ser tranquilos e fáceis de lidar. Se o cão for nervoso, ou o gato não goste de ser manuseado, vai ser mais difícil para o profissional zooterapeuta lidar com ele e ensiná-lo o necessário.

É importante ter em mente que para o tratamento mais efetivo, os melhores métodos devem ser utilizados. Um animal que cause problemas, por mais apegado que seja ao dono, pode causar situações de estresse e atrapalhar no sucesso do tratamento.

É possível também entrar com seu pet como voluntário para a zooterapia. O bichinho será avaliado por profissionais e veterinários, tanto na socialização, quanto na saúde, e se tudo estiver certo, ele pode ser um ajudante no tratamento de outras pessoas.

A zooterapia no Brasil

A Terapia Assistida por Animais é muito utilizada nos Estados Unidos e nos países Europeus e Asiáticos, onde essas pesquisas começaram a ser estudadas e praticadas. No Brasil essa técnica caminha a passos lentos, devido a vários problemas técnicos e ideológicos.

Há poucos estudos brasileiros sobre a zooterapia, assim como poucos profissionais que se interessem pela área, dificultando o avanço desse tipo de tratamento. Também há poucos lugares que ensinem esse tipo de especialização, isso, muitas vezes, obrigando os profissionais a se especializarem fora do Brasil.

Há também alguns conflitos ideológicos das entidades protetoras dos animais, que acusam os humanos de estarem se aproveitando dos animais. Esse é um termo ainda em estudo, não foi comprovado cem por cento que o animal não seja afetado emocionalmente durante o processo. Alguns estudos indicam que sim, mas muitos outros indicam que isso só melhora o bem estar do bichinho.

Independente disso, é possível encontrar o tratamento no Brasil, apesar de escasso. Os grandes centros possuem profissionais especializados e até ambientes próprios para o tratamento com zooterapia, além de alguns hospitais já permitirem a visita dos bichos de estimação aos seus donos enfermos que estiverem recebendo tratamento.

A zooterapia é uma técnica nova e bastante interessante, ela não dá a cura certa, mas com certeza é um meio divertido e alternativo de tratamento que pode ser usado como opção para todo o tipo de paciente, tornando seu dia a dia um pouco melhor.

Fonte: CachorroGato | Zooterapia – Pets ajudando no tratamento de pessoas